Casei, casamos

Texto by Niltinho, agora mais conhecido como marido da Mi 😀

topo do bolo de casamento de Mi e Nil

Nosso relacionamento, até agora, sempre foi diferente de tudo aquilo que se imagina quando se fala de namoro e casamento. Nos conhecemos pela internet, Michelle morava aqui em São Paulo e eu morava lá no Rio. Por intermédio de amigos em comum, nos encontramos em 3 de novembro, um mês depois lá estava Michelle com suas malas [uma delas só de sapatos!] pronta para a maior aventura de nossas vidas. Vale ressaltar que aquele 5 de Dezembro trouxe junto com ele uma das maiores tempestades que já aconteceu em um verão na região onde eu morava. A chuva foi sinal de boa sorte.

Nunca tivemos dúvidas sobre o nosso propósito: ser feliz até o fim. Até que a morte nos separe, passando por alegrias e tristezas, riqueza e pobreza, saúde e doença. Querendo alguns amigos e parentes ou não, estávamos casados. Porque estar casado não é ter certidão lavrada por escrivão com assinatura de testemunha em papel guardado no fundo de uma gaveta; estar casado não é ter o sobrenome do outro e por isso um novo RG. Casamento é quando a gente sabe que vai chegar em casa depois de um dia de trabalho e ter carinho para receber e para dar, aliás, é só querer chegar em casa mesmo enquanto se trabalha. E a vida de casado não é só alegria, mas tem muita. Muito sorriso, muito beijo, muito eu te amo; sexo também, da melhor qualidade, pois com amor tudo fica melhor. E que os xiitas não me levem a mal, longe de mim dizer que sexo com amor só existe dentro do casamento, mas queria deixar a dica de que você já pode estar casado e ainda não saber.

Poderíamos ter vivido a vida inteira assim, sem cerimônia, sem benção, sem testemunhas, sem bolo, docinhos, pães, refrigerantes, cerveja, amigos, festa, churrasco, presentes e sorrisos. Até que poderíamos passar sem o casamento, mas vimos que seria bem melhor se fosse com. Confesso que no começo a empolgação não foi a mesma. É que, para algumas mulheres, casamento é algo tão divertido quanto um churrasco e cerveja para alguns homens, e como uma partida de futebol para outros. Para elas, casamento é a oportunidade para comprar um vestido novo, investir num belo penteado, num sapato que custa mais de 20% de um salário mínimo e depois comentar o acontecido, por dias, semanas, meses. Para mim, como para a maioria dos amigos, casamento é a chance para rever amigos, tomar uns drinks, umas brejas, comer bons salgadinhos e fazer boas piadas. Então, logo no começo havia um conflito de interesses, e o plano foi transformar a cerimônia chata em algo [bem] divertido.

casamento de Mi e Nil

Cerimônia de casamento não é um momento único, é um longo processo que começa meses ou anos antes do dia D e termina Deus sabe quando. Desde que eu e Michelle fomos morar um com o outro que pensávamos no casamento. De lá até 12 de novembro o casamento já foi marcado e cancelado internamente uma dezena de vezes, uma infinidade de datas, locais, roupas e receitas diferentes. Se executássemos todos os planos nosso casamento seria na verdade um circuito de festas que duraria um ano inteiro. Um pouco de tempo passou, mudamos pra São Paulo, fundamos uma empresa, um pouquinho de dinheiro sobrou. Acho que uns 3 meses antes da data pensamos: agora é sério, vamos casar.

“Em cima da hora” é uma boa expressão para definir. Foi em cima da hora que alugamos a chácara, foi em cima da hora que convidamos os amigos, foi em cima da hora que encomendamos bolo, pães e docinhos, que eu comprei roupa e que ela alugou vestido. Foi tudo em cima da hora, mas ficou tudo uma beleza. A chácara é onde funciona um projeto social, todo o dinheiro que pagamos no aluguel foi revertido para o mesmo; os amigos que puderam vieram, os que não puderam lamentaram, e nós também; bolo, pães e docinhos foram um sucesso. Tudo foi tão maior que aquilo que nós esperávamos, ao ponto de ter gente dizendo que foi o melhor casamento no qual esteve. Foi tudo tão bom que teve até buquê. Nós esquecemos do buquê, mas quem tem amigo não morre pagão.

Quem tem amigos compartilha com eles os melhores momentos, e por isso os momentos ficam melhores ainda. Quem tem amigos convida pro casamento e passa o link da lista de presentes; e os amigos não se fazem de rogados e dão aquela força. Um ano depois, estamos mobiliando a casa, a nossa casa; parabéns a todos os envolvidos. Aqui começa o pós-casamento, aquele mesmo que não tem data pra terminar, que começa com a loja que atrasa entrega de presentes e vai passar pela festa de open house, porque descobrimos que comemorar é bom, muito bom.

Se tem uma coisa que posso desejar aos meus amigos, aos solteiros, aos que namoram e aos tico-tico-no-fubá é: casem-se. Dá trabalho, cansa, pode fazer você ficar quase um fim de semana inteiro sem dormir e fazer você dormir quando era para estar acordado. Mas vale a pena. Se fosse preciso, eu faria tudo novamente, com a única diferença de acrescentar um pouco mais de brigadeiro e beijinhos. Casar é bom, pratique essa ideia.

Anúncios

12 pensamentos sobre “Casei, casamos

  1. Preciso dizer que não me canso de ler e reler o texto de vocês. Emociono-me por causa da empatia de toda a situação e, principalmente, pela realidade de sentimentos que todas essas palavras transmitem.

    E, desculpa, Mi! Mas achei mais lindo que esse texto fosse produzido pelo próprio Nil, porque homem tem mania de esconder sentimentos, mas qdo os declara sai melhor que muitas mulheres sensíveis juntas.

    Parabéns ao casal pela união linda. Infelizmente, eu e a Lore não pudemos ir, mas nosso coração esteve/está o tempo todo torcendo pela felicidade dessa cerimônia sem fim.

    Beijos, menin@s!

  2. Não precisa pedir desculpas, todos sabem que o Nil é um poeta.
    Quem esteve na cerimônia ficou emocionado com os votos dele, tanto que eu nem consegui fazer os meus direito…heheh

    Obrigada pelo carinho, é recíproco.

    Deus abençoe vcs ^^

    Beijos
    Mi

  3. Alegria é ver esses dois unidos, casados, enamorados, apaixonados e juntinhos! Chato é a saudade, mas essa é até bom motivo pra gente se falar tanto, né? Já disse e repito o bordão: vida longa ao casaaaaal!

  4. Simplesmente um luxo esse texto, esse casamento, esses amigos… tudo aqui é um luxo 🙂 Toda a felicidade do mundo pra vcs… e q todos os casais enamorados desfrutem esse mesmo sentimento: de união, de corpo e alma.

  5. Eu poderia escrever aqui tudo que escrevi pro site do casamento de vocês novamente, sobre como as nossas histórias são parecidas e tal. Mas não vou, não. Vocês sabem o quanto gosto e os admiro como casal e como amigos que são, e como torço para que essa união dure por muitos e muitos (e muitos e muitos e muitos) anos. E espero acompanhar essa história sempre te perto, ainda que de longe. 🙂

    Obrigada pelo texto lindo para o nosso humilde bloguinho. 🙂 E obrigada pela amizade de sempre.

    Muitos beijos!

  6. adorei o texto!
    Que pena que não pude estar… afinal estamos (um pouco) longe, apesar que se fosse linha reta seria 1/3 do caminho… vai entender…
    Desejo a vcs muita paz de Jesus!
    vamos combinar de nos encontrar em SP… acho que fica mais fácil!
    Abraços

  7. Casar é bom, muito bom! Um dia quero contar a minha história com o Léo que foi muito parecida com a deles, só falta o “casamento” oficial! Lindo texto, perfeito mesmo.

    Parabéns ao casal e a todos que sabem que sexo com amor no casamento é MUITO melhor! 😀

Comente e aguarde a nossa aprovação

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s